Dica de leitura – A música do silêncio

about us page title image
  • Dica de leitura – A música do silêncio

    Dica de leitura – A música do silêncio

    Autor: Patrick Rothfuss 

    Editora: Arqueiro

    Páginas: 144

     

     

    Sinopse:

     

    Debaixo da Universidade, bem lá no fundo, há um lugar escuro. Poucas pessoas sabem de sua existência, uma rede descontínua de antigas passagens e cômodos abandonados. Ali, bem no meio desse local esquecido, situado no coração dos Subterrâneos, vive uma jovem. Seu nome é Auri, e ela é cheia de mistérios. A música do silêncio é um recorte breve e agridoce de sua vida, uma pequena aventura só dela. Ao mesmo tempo alegre e inquietante, esta história nos oferece a oportunidade de enxergar o mundo pelos olhos de Auri. E nos dá a chance de conhecer algumas coisas que só ela sabe…

     

    Neste livro, Patrick Rothfuss nos leva ao mundo de uma das personagens mais enigmáticas da série A Crônica do Matador do Rei. Repleto de segredos e mistérios, A música do silêncio é uma narrativa sobre uma jovem ferida em um mundo devastado. É bom levar em conta o aviso do autor no começo do prefácio.

     

    “TALVEZ VOCÊ NÃO queira comprar este livro. Eu sei, não se espera que um autor diga esse tipo de coisa. O pessoal do marketing não vai gostar. Minha editora terá um ataque. Mas prefiro ser honesto com você logo de saída. Primeiro, se você não leu meus outros livros, é melhor não começar por este”

     

    E ainda insiste:

     

    “Segundo, mesmo que tenha lido meus outros livros, acho justo avisar que esta é uma história um pouquinho estranha.”

     

    Realmente a história é estranha. De duas uma, ou você vai GOSTAR MUITO da história ou vai PERDER SEU TEMPO. Eu sou fascinado pela literatura fantástica e acompanho os lançamentos e discussões em torno dos livros e, quando li o livro, gostei muito da história. Ela realmente me surpreendeu e me deixou estarrecido.

     

    Já o Vagner Stefanello, do Desbravando Livros, tem a seguinte opinião:

     

    “Um livro sem diálogo, sem interação, sem um mísero conflito, com somente um personagem passeando por aí com uma engrenagem e gastando mais de 10 páginas com alguém fazendo sabonete? Não, não é para mim!”

     

    Para finalizar, confira algumas impressões sobre o livro feita pela Patricia Aguiar Gazza do blog literário psychobooks.

     

    Sobre o enredo e desenvolvimento do enredo

     

    Auri é uma das personagens da série, amiga de Kvothe, que mora nos subterrâneos da Universidade. Nessa novela acompanhamos um recorte de sua vida, mais precisamente uma semana que antecede uma das visitas de Kvothe. Não há um enredo propriamente dito, o que temos é uma sucessão de eventos na vida diária de Auri, que está se preparando para receber o amigo.

     

    Sobre a narrativa

     

    Se sobre o enredo não há muito a ser dito, a coisa muda quando falamos da narrativa. Em O Nome do Vento e O Temor do Sábio, tínhamos apenas alguns vislumbres sobre a personalidade tão peculiar e arisca de Auri. Em A Música do Silêncio, estamos totalmente imersos nessa peculiaridade, que é tal que chega a causar estranheza no leitor.

     

    Auri vive sozinha nos subterrâneos da Universidade, sem contato frequente com o mundo exterior – a exceção de Kvothe, que de vez em quando a visita. Por isso, a relação de Auri é com as coisas e lugares desse mundo que habita – e, como não poderia deixar de ser, cada coisa e lugar tem seu nome adequado e é muito importante. Além da preocupação com os nomes do que a cerca, vemos que Auri também se preocupa bastante com a posição das coisas em cada lugar, pois, quando tudo está em seu devido lugar, as coisas ficam bem.

     

    Apesar de focar apenas em Auri e nos mostrar mais de seu modo de viver, essa novela não elucida o porquê de ela ser como é e morar onde mora (o que, espero, deve ser esclarecido no último volume da série).

     

    Sobre a personagem

     

    É a Auri, e só. Fiquei a narrativa toda esperando a chegada do Kvothe, mas ele não aparece – essa novela é apenas de Auri. Há uma nota do autor muito interessante ao final do livro, falando da relação dele com essa obra, que mesmo nele causa estranheza, principalmente por não ter propriamente um enredo e ser composta por uma personagem só. É, realmente, uma estrutura a qual não estamos acostumados, e concordo com ele quando ele diz que esse livro não é para qualquer um.

     

    Comments (1)

    • Bah, nem sabia que tinham feito referência ao meu blog. hahahaha

      Não gostei nada desse livro, não é meu estilo, infelizmente.

      Já os demais da série, curto bastante, aguardando o 3º.

      Reply

    Leave a comment

    Required fields are marked *